Programas de Estudos

O material adiante é um apanhado de informações de fontes confiáveis tais como:

  • Revistas e publicações já consagradas (EXAME, VOCÊ S/A, Folha de São Paulo, Portal UOL)
  • Artigos científicos
  • Profissionais que são referências em seus mercados.

O Objetivo deste material é oferecer dicas e instruções para potencializar os seus estudos e consequentemente seus resultados.

Dicas de Estudos

Dicas de estudo... Desde o café da manhã até a hora de dormir, para te ajudar a estudar com maior eficiência!

Planilha de Estudos

Quer baixar uma planilha gratuita para organizar sua rotina e fazer acontecer?

Dicas para a Memória

Material do professor Renato Alves, campeão brasileiro de memorização.

Dicas de Estudos

O verbo estudar significa, entre outras coisas:

aplicar o espírito, a inteligência e a memória para aprender (habilidade, técnica, ciência, arte etc.); adquirir habilidade e/ou conhecimento

ou

cursar aulas ou frequentar cursos

O ser humano ao longo dos tempos e eras adquiriu muito conhecimento e a vida moderna perpassa pela transmissão de informações aos que chegam; além de informações básicas e de conceitos sociais e códigos de conduta, o indivíduo aprende uma profissão para, por meio do seu trabalho se sustentar.

Atualmente as profissões mais visadas pelos jovens, muitas vezes são as que são melhores remuneradas ou que tem uma aceitação social grande, uma certa admiração das pessoas; são carreiras que requerem muito estudo tanto para conseguir uma vaga nas instituições de ensino, tanto para atingir a excelência e prestígio.

O processo de estudo precisa harmonizar a fisiologia do nosso corpo, afinal para obter o máximo da nossa capacidade cerebral o “nosso sistema” precisa estar em melhores condições possíveis, assim é importante se alimentar bem, praticar exercícios e ter hábitos saudáveis (exemplo, evitar a soneca ao despertar pela manhã); também é necessário ter uma boa saúde mental e psíquica, pois de nada adianta o corpo estar sadio se a mente não está em plenas condições de aprender.

Adiante oferecemos algumas dicas e apresentamos técnicas e o uso da tecnologia para aprimorar os estudos.

Aquele soninho a mais…

É hora de acordar e muitas das vezes usamos a função “soneca” no despertador para ficar um pouquinho mais na cama.

Todavia, estudos recentes mostram que a longo prazo esta prática é prejudicial. Quando a opção é por uma sonequinha extra, o descanso que a gente tanto deseja é ilusório porque o sono daí para frente é superficial. Especialistas do Centro de Soluções do Sono dos Estados Unidos dizem que o nosso cérebro sabe que o celular vai tocar de novo e criar esse hábito piora a qualidade de vida; começar o dia assim pode causar irritabilidade, perda de memória, dores e até taquicardia.

A longo prazo, os danos podem ser ainda maiores. O neurologista Shigueo Yonekura explica que poucos minutos a mais na cama podem fazer uma confusão no nosso cérebro. o início do sono, o organismo libera a serotonina, um neurotransmissor associado ao bem-estar e à felicidade. Para acordar, o corpo dispara outra substância, a dopamina, que diminui a sensação de sonolência. O sono fragmentado causa um conflito químico que torna ainda mais difícil sair da cama. “O ideal é que o sono seja de uma vez só, não feito em prestações. Mesmo que seja no final”, recomenda o neurologista.

Se preparando para o dia…

Se puder tomar um banho ao despertar boa coisa é, seja com água quente ou fria, o banho matinal ajuda a relaxar, a reduzir o período de sonolência e neutraliza ainda o sistema parassimpático dominante, ajudando assim a deixar a mente mais leve, criativa.

Hora de abastecer o tanque…

Você passou várias horas dormindo, para que o seu cérebro tenha energias para consumir ao longo do dia, faça uma  ótima refeição no café da manhã.

Apresentamos adiante sugestões que combinam os nutrientes para um boa refeição.

(Pessoas que já tem dietas já definidas por profissionais de saúde área devem continuar a seguir as recomendações destes)

Sugestão 1:

  • Pão com ovo ou Pão com presunto e queijo; (Carboidrato combinado com proteína);
  • Um copo de suco natural ou uma porção de fruta; (Fibras e vitaminas);
  • Uma xícara de café com leite ou iogurte. (Nutrientes como cálcio, ferro, Zinco)

Sugestão 2:

  • 1 copo de vitamina de maçã, banana e leite (Nutrientes)
  • Torradas com requeijão cremoso (Carboidrato)

Alguns estudantes começam a estudar antes mesmo de tomar café da manhã, evite estudar assim que acordar… Afinal, o cérebro precisa de energias e entrar no ritmo, senão o cansaço virá logo e seu dia será pouco produtivo.

Isso é uma característica bem particular…

Todavia, se você vai a escola ou faculdade com condições (conforto, luminosidade e disposição) para estudar, não há nenhum mal… Contanto que isso não atrapalhe seu rendimento escolar durante as aulas… Como dissemos acima, não adianta “queimar a largada” e não chegar ao final da corrida.

Há pessoas que gostam de escutar jornais e programas radialísticos que possam acompanhar notícias e discussões, apurando assim o senso crítico e estabelecendo suas opiniões sobre os assuntos presentes na sociedade; existem aqueles que preferem ouvir música e assim poder se preparar para uma manhã cheia; outros preferem tirar um cochilo até chegar na escola (o que deve ser analisado friamente se é vantajoso e explicado na seção acima sobre a função soneca); existe ainda os que leem livros (não didáticos)… Enfim, é uma particularidade de cada um.

Nossa sugestão para melhorar a sua eficiência nos estudos é:

  • Se imagine quando chegar na escola (faculdade), quais aulas terá, qual professor irá ministrar as aulas, qual o conteúdo ele irá ministrar… Isso ajuda o cérebro a buscar as informações sobre o assunto e o seu aprendizado será potencializado;
  • Se gostar… Escute rádio com jornais e programas radialísticos (conforme mencionado acima, isso traz grande proveito, além de atualidades);
  • Leia livros… além de enriquecer seu vocabulário e aprimorar a capacidade crítica, criativa… vai propiciar um momento de relaxamento sem fazer o cérebro ficar “parado”, assim, ao chegar na aula você estará como o cérebro bem ativo e pronto para aprender; além de aumentar a inteligência.

Aulas e mais aulas, como posso melhorar o aprendizado?

As aulas tem em média duração 50 minutos pela manhã e no período vespertino e noturno 45 minutos. Por quê?

No início do século 20, a Psicologia Infantil fez um estudo na área de educação para saber quanto tempo uma criança poderia “focar” algo, sem perder a atenção, e detectou que, a capacidade de concentração de uma criança, era de 50 minutos no período diurno, e 45 minutos no noturno. Em 1910, a Universidade de Chicago fez um estudo e constatou que as pessoas conseguiam prender a atenção em um determinado assunto na escola por 50 minutos.

Essa pesquisa foi refeita há pouco tempo e hoje o tempo médio que uma criança presta atenção em algo, sem perder o foco é: 6 a 8 minutos!

Por que isso? Porque tudo é “fast”, tudo é veloz. A tecnologia nos trouxe tanta rapidez que nosso cérebro está se condicionando cada vez mais a ter curtos momentos de concentração e queremos tudo o mais rapidamente possível, seja para ler um texto, assistir um vídeo ou até mesmo uma aula; dá vontade de ir logo pro final e descobrir tudo!

O estudante deve se policiar para conseguir focar ao máximo nas explicações do professor e quando for anotar algo em seu caderno ou material didático, filtrar o que está sendo lendo e tentar aprender… não é apenas copiar por copiar… mas ler, tentar entender e assimilar para então copiar (anotar)… Assim a informação estará sendo transformada em conteúdo.

Aquela matéria que eu odeioooo!!! Tem como aprender isso sem ter uma síncope?

– Não lute contra você, se tem alguma matéria em que você tem maior dificuldade, tente evitar pensamentos como:

“é muito chato aprender isso!”, “para que serve tal conteúdo? Onde vou usar isso?”

Isso subconscientemente faz o nosso cérebro não querer aprender e não querer focar nisto, diminuindo a sua capacidade de concentração a retenção das informações e o aprendizado será muiiiito menor do que poderia ser, e aí você terá que compensar esta perda estudando mais nos demais períodos.

Tem uma comparação que é muito interessante…

Bons profissionais são como paredes…. As paredes são fortes, são firmes e elas constroem ambientes, tal qual bons profissionais constituem empresas e os negócios… Mas as paredes são constituídas de areia (que o vento leva), de tijolos (que foram forjados no fogo), de água (que não tem firmeza alguma), cimento (que sem a água não serve para nada); tudo isso é imperceptível aos nossos olhos, mas são estes elementos que formam uma parede… Da mesma são os profissionais; no dia dia não se usa determinados conceitos de física, história, geografia e etc… mas são essas disciplinas e os conhecimentos assimilados pelo profissional que o constroem.

Então, vamos nos determinar a fazer sempre o nosso melhor e aprender o máximo de conteúdos… É possível sim aprender, desde que haja motivação para isso, mire em sua carreira… não no lugar em que está agora, mas no lugar que você almeja chegar!

 

Preciso mesmo copiar a matéria?

Existem muitas maneiras de se aprender algo novo… Vamos discorrer um pouquinho sobre o estilo de aprendizado VARK

Existe um questionário foi criado por Fleming e Mills (1992), com o propósito de fornecer aos usuários um perfil das suas preferências de aprendizagem.

Eles criaram quatro categorias que refletem as experiências dos estudantes, são elas: visual, auditiva, leitura/escrita e sinestésico, por isso, o nome VARK (visual, aural, read-write e kinesthetic).

Quando um indivíduo possui mais de um estilo de aprendizagem, diz-se multimodal , e mais de 60% de qualquer população encaixa-se nessa categoria.

Levou-se em consideração apenas os estilos: visual, auditivo, leitura/escrita e sinestésico.

As pessoas que possuem o estilo de aprendizagem Visual adquirem conhecimento quando se deparam com palestras que usem gestos, linguagens conhecidas, figuras, vídeos e slides, destaques no texto (negrito, sublinhado, realce, etc.), gráficos. Como forma de fixar o conhecimento e se dar bem em exames, reescreve as anotações para memorizá-las associando palavras com símbolos, usa diagramas, reescreve exames anteriores e as figuras.

Os que têm a preferência pelo estilo Auditivo possuem as seguintes características: preferem tutoriais, aulas, assistir discussões, discutir temas com professores e com os outros alunos, explicar ideias novas para outras pessoas, deixar espaços nas anotações para lembrar depois, utilizar de recursos visuais para descrever acontecimentos para alguém que não estava presente. Para ir bem nos exames a forma de estudo mais adequada é imaginar conversar com o examinador, escutar a sua voz e anotar, passar algum tempo em um local silencioso lembrando-se das ideias, praticar escrevendo as perguntas e respostas de exames anteriores, falar as respostas em voz alta ou dentro da cabeça. Para estas pessoas as palavras escritas não são tão valiosas como as que ouvem.


Os que têm a preferência pelo método de Leitura/Escrita para um bom sucesso em provas e exames devem escrever as palavras repetidas vezes, ler as anotações em silêncio repetidas vezes, reescrever as ideias e conceitos em outras palavras, tentar transformar gráficos, diagramas em palavras. Para estas pessoas os significados estão nas palavras escritas.

Os Sinestésicos preferem aprender utilizando-se de todos os sentidos (visão, tato, olfato, paladar, audição), viagens de campo, exposições, exemplos da vida real e aplicações facilitam o seu aprendizado, preferem utilizar de imagens ou fotografias para ilustrar uma ideia. Para estas pessoas elas precisam fazer as coisas para entender.

DICAS PARA O ALMOÇO

Agora é hora de repor as energias, após uma manhã de muita concentração, aprendendo novos conteúdos, é necessário se alimentar bem para uma tarde produtiva. Cuidado com exageros, que podem prejudicar seus estudos trazendo sonolência e baixa concentração

Sugestão:

  • Arroz ou massa; (Carboidratos);
  • Feijão e/ou Carnes; (Proteínas e nutrientes importantes);
  • Verduras e legumes; (vitaminas e minerais);
  • Sobremesa – Frutas. (Contém açucares naturais, nutrientes e fibras)

Alimentos prejudiciais para o estudo:

– Refeições  pesadas com alta concentração de proteínas como uma feijoada, bife à milanesa ou alimentos à base de creme de leite; 

– Alimentos com alto teor de proteína e gordura, pois levam maior tempo no processo de digestão, provocando sonolência. 

– Balas, salgadinhos e refrigerantes, pois aumentam o apetite e provocam perda de concentração.

ESTUDOS A TARDE E A NOITE

A primeira coisa que você tem que ter em mente é que nos estudos, quantidade nem sempre implica em qualidade de estudo. O processo de aprendizagem é algo pessoal, cada indivíduo tem uma forma melhor de aprender e o tempo adequado; o que precisamos fazer é aumentar a eficiência do seu estudo. Como?

A Atenção é um fenômeno necessário para que se processe o aprendizado, durante o qual a inteligência escolhe e dá destaque a determinados incitamentos e produz uma conexão entre eles. O ser humano é bombardeado por estímulos o tempo todo, originários das mais variadas procedências.

Mas, nós só conseguimos responder a uma parte deles, pois seria impossível reagir a sua totalidade. É um mecanismo de alta significação em alguns campos específicos, como, por exemplo, a pedagogia. Nos colégios o estudante é obrigado a concentrar sua atenção nas disciplinas transmitidas pelos docentes; para isso tem que apagar outros incentivos imagéticos, sonoros ou de qualquer outra natureza. A atenção, porém, não está ligada somente ao foco em um único estímulo, quando se diz que ela é concentrada; o sujeito pode igualmente decompô-la, nos casos em que escolhe e aciona vários incentivos externos ao mesmo tempo, como nos momentos em que se está navegando no computador e simultaneamente se atende o celular.

Então, para ter maximizado o nosso estudo, precisamos de estudar com o máximo de atenção, isto é, concentração. Como manter o foco?

Não existe uma solução mágica, as distrações só são vencidas pelo esforço e pela autodisciplina.

 

DICAS PARA OTIMIZAÇÃO DOS ESTUDOS:

– Estude em blocos intervalados, comece com blocos de 30 min e intervalos de 10 min, à medida em que conseguir aumente o tempo dos blocos até 50 min e os intervalos podem ser diminuídos a 5 min. A intenção é que o cérebro, nos intervalos possa descansar e ver outro assunto, outra coisa, terminado o intervalo, se possível mude a disciplina ou o conteúdo do estudo, assim você evita que fique maçante e cansativo para o cérebro.

Resumindo: entenda quanto tempo consegue ficar concentrado estudando, após isso, faça pausas entre esses intervalos, a intenção é intensificar seus estudos em pequenos períodos.

– Faça resumos e aposte nos fichamentos e mapas mentais, não pegue-os prontos, faça você mesmo, assim você estará assimilando ainda mais o conteúdo quando estiver fazendo-os.

– Um erro comum é dividir o tempo de estudos de cada matéria de forma igual. Mas algumas considerações devem ser feitas:

– Disciplinas possuem pesos diferentes em provas de concursos públicos e vestibulares;

– Cada indivíduo tem mais facilidade em aprender um determinado assunto;

Ou seja, antes de decidir quanto tempo se dedicará em cada disciplina é necessário analisar o edital (do concurso) ou do SISU e conferir qual é o peso de cada uma. Após isso, veja quais matérias você tem facilidade em aprender ou se já possui um certo conhecimento. De nada adiantará gastar tempo em seus estudos reaprendendo uma matéria em que você já domina. Ao invés disso dedique-se àquela que possui mais dificuldade.

– Ouvir músicas pode ser um recurso excelente para manter o foco, além de reduzir o ruído ambiente, ouvir música pode trazer bem-estar. Cuidado com o repertório, tem que ser algo leve e prazeroso, nada de músicas “deprê”. É importante que você não se envolva demais com a trilha sonora, apenas relaxe com ela, por isso, a neurociência recomenda escolher um repertório que você já conhece, uma música nova exige mais atenção do cérebro, até para ele decidir se gosta dela ou não, por exemplo. Uma sugestão é montar playlists com duração de 50 a 60 minutos, já que esse é o tempo máximo em que conseguimos prestar atenção ininterrupta. “Quando a música acabar, você já saberá que é hora de fazer a pausa”, diz ela.

– Procure estudar em um local organizado, mesas de trabalho caóticas são ruins para o cérebro, a especialista Carla Tieppo, professora adjunta da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, o sistema nervoso tende a se espelhar no ambiente externo. “Se não há lógica do lado de fora, fica difícil se organizar internamente”, afirma. É verdade que o caos pode ser um grande aliado na busca por criatividade e inovação. Mas, se o seu objetivo é terminar uma tarefa, é melhor manter a sua escrivaninha limpa e organizada. A falta de cuidado com a ergonomia também pode gerar distrações. “A sua postura de trabalho deve ser correta e confortável, para que o seu cérebro não se concentre mais no cansaço do corpo do que no trabalho”, recomenda a professora.

O professor Pier (Pierluigi Piazzi), usava bastante este bordão:

“Aula dada… Aula estudada”

Ao estudar a neurolinguística e o cérebro humano, ele dividiu o cérebro em três partes:

  • Sistema Límbico (memória de curta duração) – Similar a memória RAM dos computadores – Toda informação é inicialmente colocada aqui, o conhecimento, o saber se dá nas outras duas partes…
  • Córtex – área em que as redes neurais são feitas, aqui existe o conhecimento. Se eu te disser: Qual a capital de Minas Gerais… prontamente o cérebro busca em um circuito de neurônios e a resposta vem: Belo Horizonte!
  • Cerebelo – área em que as habilidades são descritas… É muito difícil escrever aqui, mas também muito difícil de apagar… Como por exemplo andar de bicicleta, é difícil de aprender, mas… mesmo adormecida por anos, essa habilidade ainda existe.

Quando assistimos uma aula, as informações ficam armazenadas no sistema límbico, para poder fixar essas informações no córtex, é necessário revisar este conteúdo, e exercitá-lo. Existe um ditado chines que diz:

Se eu vejo… eu esqueço, se eu ouço.. eu entendo, se eu faço… eu aprendo.

Quanto mais exercitar (fazer exercícios), mais o conteúdo será assimilado e então a noite, durante o sono, o cérebro cria novas conexões neurais no córtex.

Improtante ressaltar que…

  • O cérebro só faz essas conexões no cerebelo quando estamos dormindo, assim é importantíssimo ter uma boa qualidade no sono;
  • Se não revisar a aula no mesmo dia, no dia seguinte, muito da informação inicial é perdida.

Existe uma curva de esquecimento:

É possível notar que se não houver revisão do assunto, este será esquecido pelo cérebro, pois não serão constituídas as redes neurais no córtex e o sistema límbico não consegue fixar estas informações, por isso toda vez que dormimos, ele é “esvaziado”, daí após uma noite mal dormida não termos disposição para estudar… o sistema está com a “lixeira cheia”.

 

 

O professor Pier (Pierluigi Piazzi), usava um ótimo exemplo:

Não tem como trocar o pneu do carro em movimento, assim é o nosso cérebro… Precisamos dormir para o cérebro conseguir se renovar:

  • Esvaziar a memória RAM (sistema límbico);
  • Escrever no nosso HD (córtex) e assim estabelecer as ligações neurais.

 

Preciso de quantas horas de sono por noite?

É uma resposta bem pessoal, todavia os especialistas acreditam que o período médio entre 6 a 8 horas por noite é o ideal.

 

DICAS DE APLICATIVOS QUE PODEM TE AJUDAR – Disponíveis em Android e IOs:

  • Evernote – Você está sempre rodeado de post-its e bilhetinhos para si mesmo? O Evernote pode ajudar você a manusear suas anotações de forma rápida e eficiente. Além de servir como um grande “bloco de notas” acessível de diversos dispositivos, o programa também pode ser usado como depositório de textos, fotos, áudios e conteúdos da internet que você quer guardar para depois.
  • Trello – Chamado de “Pinterest das listas de tarefas” por conta do visual, o Trello ajuda a criar fluxos de trabalho individuais e coletivos. O usuário consegue hierarquizar e manipular suas pendências, além de acompanhar prazos e seu próprio nível de progresso em cada entrega.
  •  Remember the milk – A função deste assistente é simples: organizar a sua lista de tarefas. Entre as suas vantagens sobre o velho bloquinho de papel, estão as funções de enviar lembretes por email ou SMS, compartilhar tarefas com outros usuários e sincronizar informações entre vários dispositivos.
  •  Clear Focus – O Clear Focus é um cronômetro que ajuda o usuário a intercalar sessões de trabalho com pausas curtas. A inspiração é a “técnica Pomodoro”, um método de trabalho que divide o tempo em blocos de 25 minutos, alternados por intervalos, para impulsionar a produtividade
  • Agenda Escolar –  Extremamente útil para você se organizar, agendar as datas das provas e trabalhos escolares.
  • G1 – Muito informação (com referência) e ainda tem o G1 ENEM que tem questões gratuitas de todas as matérias.

PUBLICIDADE

Planilha de Estudos

Nós estudamos para aprender algo… uma habilidade, uma profissão..

O sucesso passa muito por ORGANIZAÇÃO e PLANEJAMENTO.

PARA BAIXAR GRATUITAMENTE A PLANILHA DE ESTUDOS…

CLIQUE AQUI

Dicas para a memória

Algumas dicas de MEMÓRIA…. Processos de memorização

Extraídas do site do campeão brasileiro de memorização Prof. Renato Alves…

Ele elenca os itens abaixo como os principais fatores de fracasso dos estudantes… Confere aí:

Olhar para uma pilha de livros e perguntar: Deus, por onde eu começo? Tem algo mais desanimador para quem estuda? É absurdo, mas apenas 2% dos estudantes brasileiros seguem um planejamento de estudo, o famoso, Plano de Estudo. Um bom plano de estudo é como um mapa que o ajuda a determinar:

– Quantas matérias você pode estudar por dia;
– A carga horária ideal para a semana;
– O ciclo de estudo satisfatório para manter os estudos em dia;
– Um bom método de monitoramento de resultados.

Fazer um Plano de Estudo é como ir a uma alfaiataria, tem que ser sob medida. Não adianta ficar garimpando na internet modelos de plano de estudo. O que serviu para a aprovação de outras pessoas com certeza não servirá para você, porque são métricas diferentes. É preciso personalizar o seu sistema de estudo para que ele realmente tenha o efeito esperado: sua aprovação!

LOGO ACIMA VOCÊ PODE MONTAR O SEU… USANDO NOSSA PLANILHA DE ESTUDOS

Você aprendeu a montar um Plano de Estudo, certo? Mas quando começa a estudar fica xingando as matérias. Então voltou a estaca ZERO. Reclamar das matérias é um tiro no pé, porque fazendo isso você automaticamente ordena ao cérebro o bloqueio da aprendizagem.

Você não pode reclamar das matérias e sim descobrir o que o impede de gostar. Dominar um texto de qualidade desenvolve seu sistema cognitivo e prepara você para dominar qualquer outro tipo de texto.

Física e Matemática são disciplinas que desenvolvem e treinam o nosso cérebro pra resolver problemas… Então a pergunta que cabe neste ponto é: Você sabe estudar? Quando não sabemos estudar acabamos colocando a culpa na matéria.

Estudar a matéria, fechar o livro, olhar no espelho e ver aquela cara de ponto de interrogação é frustrante, concorda? Muitos estudantes se permitem encerrar os estudos com a cabeça cheia de dúvidas. Saem da sala de aula com a sensação de estar faltando uma peça do quebra cabeças.

Nunca permita isso! Pintou uma dúvida, corra, pesquise, pergunte, desvende-a. Seja obcecado por elucidar dúvidas. Hoje você tem todo conhecimento produzido pela humanidade na ponta dos seus dedos, frequente fóruns de discussão, blog, converse com professores e especialistas.

Certo, agora você é um expert em tirar dúvidas, segue um mapa de estudo e ama estudar todos os tipos de matéria.

Mas pergunto, e a memória? Tem algum conteúdo na memória?

Conheço muitos estudantes que são feras em memória de curta duração. Na sala de aula, nos estudos sabem tudo, meia hora depois não se lembram de nada!

Um dos erros mais graves que um estudante pode cometer é subestimar a importância da memória no processo de preparação. Pesquisas mostraram que é a memória quem derruba a maioria dos estudantes. Ela é a base da inteligência, fornece matéria prima para o raciocínio e consolida todo conhecimento absorvido nas horas de estudos. É também a memória que lhe entregará de bandeja no momento da prova tudo o que você aprendeu. Se você não memoriza a longo prazo aquilo que estudou, dificilmente conseguirá lembrar. Não lembrando-se, ficará ansioso e a ansiedade, adivinhe, vai agravar ainda mais o branco na memória. É preciso incluir as técnicas de memorização no seu pacote de habilidades mentais.

Você já reparou que a maioria dos estudantes de vestibular e concurso estudam da mesma forma que faziam quando estavam no fundamental. Leem, releem, anotam, esquecem, leem tudo de novo…

Se olhar com uma lupa, notará que o sistema de estudo que você utiliza talvez ainda seja o mesmo que utilizava na quinta série, ou seja, as matérias mudaram, mas o jeito de aprender continua o mesmo…

A forma de aprender mudou, porque o mundo mudou. Hoje temos acesso a informação, as formas de avaliação mudaram e o peso das habilidades cognitivas é maior.

Por exemplo: Algumas provas a redação é mais importante do que o conhecimento específicos das regras gramaticais. Em outras a habilidade de se expressar verbalmente é o que conta mais pontos.

Um estudante moderno não é aquele que estuda com um tablet nas mãos, mas aquele que conta com um leque de habilidades mentais que o ajudam a aprender apesar da complexidade do mundo. Permita-me um conselho: invista o que puder em novas habilidades e você será um candidato bem acima da média.

Resumo:

Dizem que os maiores erros cometidos pelos estudantes é o de deixar o celular ligado, estudar ouvindo música, vendo televisão, etc. Estes são alguns pecados óbvios e… perdoáveis, digamos assim. O que você precisa investigar é a influencia invisível e sutil dos problemas citados acima.

Perguntar a si mesmo porque a aprovação não acontece. Um autoexame responsável e crítico deverá apontar para os problemas como desorganização, desmotivação, medo de perguntar (que gera ansiedade), falhas de memória e esquecimentos frequentes.

O mundo mudou, a forma de ser avaliado mudou e nossa postura diante dos estudos precisa mudar. Nós estamos vivendo a era do cérebro e não mais dos músculos. Quem vence não é mais o mais forte, e sim o mais rápido, o mais preparado.

Você tem mil e um motivos para desejar a aprovação no concurso público, mas como ensina a metáfora do lenhador, é preciso primeiro amolar o seu machado, preparar as ferramentas.

Vencer pelos estudos é o mais elevado status de sucesso que você pode receber.

E para isso… é necessário muito esforço individual, pra comemorar sempre se encontra amigos e colegas… mas, para estudar e fazer a prova… é apenas você e você.

É o jovem que passou no dificílimo vestibular. É o estudante que conseguiu concluir o curso superior e foi contratado por uma grande empresa. É o concursando que abriu mão de tudo, se dedicou durante anos e finalmente viu no Diário Oficial a sonhada nomeação.

Vencer pelos estudos é a mais nobre condecoração.

Ganhar o respeito das pessoas inteligentes vale mais do que qualquer bem material que você possa receber de herança.

PUBLICIDADE

Deixe uma resposta